quinta-feira, 1 de abril de 2010

QUANDO FORES VELHA


Quando fores velha, grisalha, vencida pelo sono,
Dormitando junto à lareira, toma este livro,
Lê-o devagar, e sonha com o doce olhar
Que outrora tiveram teus olhos, e com as suas sombras profundas;

Muitos amaram os momentos de teu alegre encanto,
Muitos amaram essa beleza com falso ou sincero amor,
Mas apenas um homem amou tua alma peregrina,
E amou as mágoas do teu rosto que mudava;

Inclinada sobre o ferro incandescente,
Murmura, com alguma tristeza, como o Amor te abandonou
E em largos passos galgou as montanhas
Escondendo o rosto numa imensidão de estrelas.


William Butler Yeat

4 comentários:

El Drac disse...

A caído muy bioen tu poema para semana santa, en donde están proliferando el alcohol,sexo y drogas antes que la contrición, y las visitas a la iglesias como hacían nuestros padres y abuelos. Un abrazo

reltih disse...

un saludo, gusto el mío visitarte.
besos

Pérola disse...

Amiga, amei a sua postagem.
Tomei a liberdade de copiar a foto q está linda por demais mas sem tirar os créditos.
Espero q ñ fique chatiada rs.
Vim lhe deixar o meu carinho e te desejar uma feliz Páscoa com muito amor e muita paz no coração.
Beijokas.

"Cantinho Poético" disse...

"Tenho pensamentos que se pudesse resolvê-los e
fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às
estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao
coração dos homens."

Fernando Pessoa

Um feliz FDS de amor e Paz ! M@ria