sábado, 3 de abril de 2010

Dá me a tua mão



Dá-me a tua mão:
Vou agora te contar
como entrei no inexpressivo
que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei
naquilo que existe entre o número um e o número dois,
de como vi a linha de mistério e fogo,
e que é linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
- nos interstícios da matéria primordial
está a linha de mistério e fogo
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo
é aquilo que ouvimos
e chamamos de silêncio.


Clarice Lispector

7 comentários:

Glória Müller disse...

Feliz Páscoa, Maria! Aqui o sinal é péssimo, mas vou tentar deixar o meu carinho com todos, começando por você.

reltih disse...

excelente post. gracias por compartir.
besos

Pérola disse...

Uma feliz Páscoa,que Deus na sua infinita beleza lhe traga,muita luz,paz,muito amor e sabedoria.
Um beijo grannnnnnnnnnnnnde borrado de chocolate.
beijokas.

Irene Moreira disse...

Clarice complexa, transparente mas nunca sózinha sempre de mãos dadas.

Beijos

ONG ALERTA disse...

Feliz páscoa e paz no teu coração!!!

Sônia Silvino disse...

Lindo, amiga! Como sempre!
Bjkas e ótima semana!

Celia M disse...

Adoro Clarice Lispector. Esse é lindo demais. Bjsss