sábado, 13 de março de 2010

O Perfume da Noite Azul


O perfume da noite azul que vem chegando
Penetra em nós, espalha em nós este langor...
Anda o silêncio pelas coisas...O ar é brando...
E o perfume da noite azul que vem chegando
Cada vez é mais vago e mais perturbador...

Nossa janela dá para a beira do rio.
As águas levam folhas mortas, devagar...
E o perfume da noite azul, pelo ar macio,
Como que vem das águas lânguidas do rio...

Olha lá o luar!!! Vem talvez do luar.

E ficamos a ver, de bruços na janela,
A paisagem que escureceu. Este langor...
Oh! Perfume da noite azul, da noite bela!
Enervante... delicioso... perturbador...
Escuta minha pequenina noite bela,
Perdoa esta infantilidade: " Meu amor..."


Ribeiro Couto

4 comentários:

El Drac disse...

siempre nos volvemos cándidos frente al amor, actuamos sin malicia y como los niños jugueteamos, inventamos dulces sueños que nos vuleven a la inocencia de la vida. Precioso poema te felicito

Helena Castelli disse...

Sempre uma delícia navegar no teu blog, saborear teus textos, imagens, e tanta poesia e sensibilidade.

Levo comigo o perfume da noite...
Helena

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta

Doce beijo

MARIA L. BÓZOLI disse...

"Um amigo vem e segura a sua mão ou te abraça. Não perca essa oportunidade - porque Deus veio na forma da mão, do abraço, na forma do amigo".

(Osho)

Te desejo uma semana de sonhos e poesia. Beijos M@ria