sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Se eu pudesse guardar os teus sentidos


Se eu pudesse guardar os teus sentidos
Numa caixa de prata e de cristal,
Entre conchas do mar, búzios partidos,
Pequenas coisas sem valor real...
Se eu pudesse viver anos perdidos
Contigo, numa ilhota de coral,
Para além dos espaços conhecidos,
Mais longe do que a aurora boreal...
Se eu soubesse que o olhar de toda a gente
Te via, por milagre, repelente,
Que fugiam de ti como da peste...
Nem assim abrandava o meu ciúme,
Que é afinal o natural perfume
Da flor do grande amor que tu me deste.


Reinaldo Ferreira

3 comentários:

Celso Andrade disse...

Muito legal, parabéns pelas belas palavras a imagem é linda também!

Abraço

Memória de Elefante disse...

O amor é sempre assim que ao final ancore teu coração, que ele pouse,pulse ,brilhe...

Lindo poema!

Um abraço

El Drac disse...

belo poema, adorei a mantê-lo entre as conchas, as conchas aqui no Peru são muito especiais e se eu tivesse a sorte de estar numa ilha sozinho com você porque eu dedicado para povoar a ilha com amor, beijos e carícias.