quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Perdidamente...Ser Poeta


Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhas de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!


Florbela Espanca

3 comentários:

Glória Müller disse...

Suas poesias são maravilhosas!!!

stella disse...

E' una poesia molto bella!

orkut disse...

Bem eu amo tds poemas de Flobela Espanca!
Sofreu por amor, até sua morte...
Escolha maravilhosa!!!