quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Agosto, embrião de setembro


. dialogando com meu amigo poeta JL


O inverno também prepara a vida
que nascerá sobre a aridez do frio
Como se a rachadura fosse precisa
para brotar a semente do novo dia

Como se o futuro fosse a porta
para o passado renascer frondoso
carregado de esperanças e gozo

Virá outubro, e sem escolha
o calor do vento acenará
que em novembro, do alto dos arvoredos,
a vida clamará por frutos e novas folhas

Não se falará mais de manhãs gélidas,
e sim de nuvens lépidas, bem vindouras,
douradas pelo sol

Tudo retomará seu ciclo com o outono
para recomeçar a minguar
anunciando de novo o velho novo inverno

Haverá luz e sombra
onde já houve luz e sombra
sempre ...

E o gelado do peito
e o vazio das mãos
serão escalados por ti
pelo teu espírito missionário
à procura do calor e do preenchimento

Meu amigo, é quando não sabemos andar
que aprendemos a andar
É quando há o escuro
que buscamos por claridade

É quando sofremos que aprendemos a ser felizes!
Aprendemos o valor de ser feliz!

Não julgue estes versos conformistas, não são!
Antes, tome-os como alimento
para que do tormento brote o aprendizado
de todas as dores: o alento!

E entre os agostos do tempo
a primavera ao chegar trará a alegria dos pássaros
o verão, os dias de calor e chuva
neste antagonismo natural
que faz a vida!

E mesmo quando esta tiver se apagado
... enfim, é assim, é preciso ...
a roda da existência a trará de volta
com outros caminhos
com outros espinhos
e sorrisos ...

Mauro Veras

21 comentários:

AMOR E POESIA disse...

Lindo demais! "Agosto, embrião de setembro" Este diálago entre dois grandes poetas Mauro Vaz e JL só poderia dar este maravilhoso texto poético!Aproveito para te parabenizar por selecionar ecxelentes poetas e poetisas neste seu blog...que por sinal de muito bom gosto!Parabéns!

M@ria disse...

Correndo os ares, na amplidão perdida,
Essa música doce, é a voz, talvez,
Da alma de tudo, celebrando a Vida!

(Olavo Bilac)

Bom dia e o meu carinho...M@ria

Arnoldo Pimentel disse...

O fim é sempre um novo começo, e em cada começo aprendemos algo sempre novo, viver.Beijos

Terê. disse...

belo poema, com cara de frio, obrigada pela visita Maria, bju terê.

Taty Cascada disse...

Como siempre, logras seleccionar poemas de calidad, que son disfrutados por todos.
Un beso María.

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Bom dia Maria,

Gosto quando você dá o ar de sua graça no meu canto. Muito obrigado pela gentil visita e pela poesia.
E que supresa agradável encontrar aqui essa belíssima poesia de Mauro Veras, poeta por quem tenho admiração indescretível.
Parabéns.
bjos.w

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Maria! Mais uma vez, passando para apreciar um belo poema, fruto das tuas acertadas escolhas.

Beijos,

Furtado.

RELTIH disse...

CADA MES TIENE SUS COLORES.
BESOS

Crista disse...

Sou eu!!!!!
Não acredito que tu dissestes que sou a CristaCristalCristalina,a famosa Olhos Azuis!!!!!
Devias fazer de conta que não te lembravas de mim...
Assim eu iria fazer charminho,desfilar minha belezura,piscar para ti,sorrir e até CANTAR com essa maravilhosa voz de MORMAÇO que DEUS me deu!!!!
Mas tudo bem...o que importa mesmo é que te gosto do jeitinho que tu és!
Tu não vais acreditar se eu te disser que virei um picolé...de tão frio que está por aqui...mas é a pura verdade!
Até me derreti ao ler tua postagem...gostei demais,viu???
Por isso que estás sentindo esse gostinho de doçura...
Não te beijo,porque senão te meléco...ééékkkaaaaaaa...

Machado de Carlos disse...

Este poema maravilhoso! Lembra a Sinfonia: Quatro Estações de Vivaldi.
Parabéns ao publicá-lo!

Everson Russo disse...

Um final de semana repleto de carinho, paz e muita poesia pra ti minha querida amiga...beijos e beijos.

Artes e escritas disse...

O ano passa ligeiro. Ps. Tem um selo comemorativo dos 300 seguidores do artes e escritas esperando por você : http://selosarteseescritas.blogspot.com/2011/08/300-wwwarteseescritasblogspotcom.html
Um abraço, Yayá

Maria disse...

Lindissimo poema, sempre excelentes escolhas.
Beijinhos
Maria

Tétis disse...

Olá M@ria

Lindíssimo poema. Uma escolha fabulosa com versos de grande qualidade.

É sempre um prazer e uma delícia aqui passar, ler e ver todo este ambiente poético e mágico.

Beijinhos

Tétis

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Querida M@ria

A árvore não teme despir suas folhas, pois acredita na chegada de uma nova primavera...
Que possamos aprender com elas.
Tenho um enorme carinho por vc.

Beijo,

Fátima Guerra.

Lou Witt disse...

Esse poema é lindíssimo!

Meu carinho, sempre.

beijos

♥ Sussy* disse...

querida Maria
o que é uma bela entrada
Eu realmente gostei, é sempre um prazer ler você
existe um prêmio para você no meu blog com muito carinho
abraços e beijos

LUCONI disse...

Nossa maravilhoso, te agradeço por compartilhar tão belas obras que nos fazem sair daqui com a alma leve, beijos Luconi

Amor feito Poesia disse...

Dai-me algumas palavras,
- porém, somente algumas! –
que às vezes apetece,
pelos jardins da areia,
colher flores de espuma.


Cecília Meireles

Beijos e meu carinho....M@ria

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Cada dia
é a semente
de um amanhã,
que desde sempre
habita nossos pensamentos.

Viver é sentir os sonhos
com o coração.

David C. disse...

así es la vida ... un pasar del tiempo.