quarta-feira, 21 de abril de 2010

Aquarela azul


Pousada sobre a flor,
frágil e bela em demasia!
Tão diáfana que não se sabia,
o que era borboleta, flor...
ou se era só poesia!
 
Tremem as pétalas lilases
ao vento breve.
Fremem as asas anis
à brisa leve.
 
E há um céu sem nuvens
no olhar do poeta,
entre o azul das asas
e o azul da pétala.
 

Lenise Marques

5 comentários:

Pensamentos da Mila disse...

Tão simples e tão profundo...Uma bela poesia...
Carinhosamente Mila!

Pérola disse...

A borboletas são lindas e também inspira os poetas.
Parabéns.
Beijokas amada.

Poesia...Poesia disse...

Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho.

Mário Quintana

Beijos e linda noite prá ti!!

Pizarro disse...

Preciosa poesia.
Saludos y abrazos.

Espaço Aberto disse...

É com imenso prazer que chegamos até a sua casa e convidamos você a fazer parte do Espaço Aberto – Um blog para todos! Lá você em breve encontrará proposta para postagens coletivas (Tem uma ótima que já está pronta para ir ao ar!), sorteio de brindes, entrevistas, publicações dos mais diversos assuntos, enfim você não pode ficar de fora. Venha participar!