sexta-feira, 5 de março de 2010

O cheiro do vento


O cheiro do vento brota das folhas,
que cobrem a trilha que leva ao mar,
cheiro doce do mar quando a água
dança numa gostosa tarde de sol,
subindo nas pedras e explodindo no ar.

Sonhando tolices, a gente segue o caminho,
borboletas também seguem flores pela trilha,
beirando suas vidas no caminho do mar,
onde o cheiro do vento tem cheiro de amar,
e sopra as memórias no imenso azul da ilha.

São os ventos do fim de mais um verão,
balançando a palha seca dos coqueiros,
tem o cheiro gostoso do mato, da maresia,
cheiro de poesia pairando no pensamento,
este passageiro clandestino em um veleiro.

Cheiro do vento espalhando o amor no ar,
vida passando no meridiano do coração,
seguindo os rastros da memória na trilha
que leva ao mar, que leva embora a estação,
e a vida vai ganhando o perfume do mato
nas tardes serenas e calmas desta ilha...


Sônia Schmorantz

6 comentários:

Maurélio disse...

Que maravilha a poesia. A Sônia é minha querida amiga, conheço seu belíssimo site.
Maria, seu site está belíssimo, parabéns.

Lely Vehuel disse...

Que bonita poesia.Hola, siempre cuando uno llega a un lugar se le dice bienvenido, hoy es mas que eso, hoy me siento bienllegado. Estar en este tu espacio es gratificante de verdad. Tu sitio esta como siempre estupendo. Vengo desde Peregrino de Sabiduría y como siempre abro las puertas para invitarte y compartir algo un abrazo mucha luz y hasta pronto...

ONG ALERTA disse...

Sim o cheiro da vida que o vento leva por ai...paz.

Sonia Schmorantz disse...

Quanto carinho neste gesto, muito obrigado querida!
beijos, um lindo final de semana

EDUARDO POISL disse...

Este é um dos poemas que mais gosto da Sônia.

Abraços bom final de semana.

Sandra Botelho disse...

O Outono é realmente uma estação suave, mas acho triste...
Me lembra despedida, despedida das flores , das folhas...

Lindo poema da Sonia.
E você querida tudo bem?
Deixo-te meu beijo e amizade.