segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Minha taça!


Quero um abraço apertado
Esta frio e eu cansado
Chuvisca em minha janela
E já não há mais flores nela!


O sol se foi e veio a noite
Azul, vento em açoite
Estribilho de sinos só
E minha garganta ata um nó!


O fogo lambe a lenha fria
E a sala me parece vazia
Eu e minha solidão
Sentados aqui nesse chão!


Estou frio, mas não sozinho
Faz-me companhia o vinho
Transborda a taça de cristal
Deixa-me bem, não me faz mal!


Passado e presente a se encontrar
Tal e qual a fúria do mar
Sonhos que não passaram
Pensamentos que ficaram!


Vozes que já se foram
Abraços que se afrouxaram
E esse frio que chegou
E sem permissão se aninhou!


Estou cansado, me abraça
Encha de novo minha taça...


Santaroza

5 comentários:

O Profeta disse...

E tive um sonho!
Mil, um milhão, alguns cheios de firmeza
Tenho-os todos guardados num lugar secreto
Onde não mora a incerteza

Com eles planto canteiros
Faço de espantalho para afugentar descrença
Rego com gotas de emoção cada planta
Só deixo que tape o sol a tua presença

Uma caixa repleta de sonhos felizes para 2010


Um mágico beijo

Mariah disse...

Linda poesia. Um Abraço

reltih disse...

Maria, eso dolió, me dolió.
besos

Luis F disse...

Um excelente poema, um excelente blog, excelentes palavras que embalam quem aqui navega.

Parabéns

Excelente 2010

Luis

Eliana disse...

LINDO poema foi um balsamo para nossa alma onge, embalada por esta magia