quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

AURA DE AMOR


Toda a estrela que cintila,
E ao alto, fica a piscar,
Colhe o brilho dos teus olhos,
Dengosa, a te namorar!

Fulgurância está contida
Em você, eu posso ver!
O Sol, a lua, as estrelas,
Vem roubá-la de você!

Lá de cima os astros veem,
Um outro céu, tão brilhante,
São seus olhos; é você,
De beleza fulgurante!

No céu vão luzir os astros
E você brilha pra mim,
Como o sol e como a lua,
Céus estelares sem fim.

Quando uma estrela cadente,
Lá no céu a gente vê,
É porque veio buscar
O fulgor que há em você.

Faz brilhar seus pirilampos
Com encanto o firmamento
Colhe este encanto em você,
Numa lufada de vento.

Preciosos, Céu e Terra
Magnífico esplendor,
Vem comparar os seus brilhos
Com a tua aura de amor.


Mírian Warttusch

4 comentários:

reltih disse...

tu lírica brilla mas que el amor.
precioso, hermosos sentimiemntos los tuyos.
besos

Beatriz Prestes disse...

Teus versos são como mergulhar em sonhos esperados!
Lindíssimo!
Beijo carinhoso
Bea

Argos disse...

Gosto deste poema!
Terno e com uma cadência suave.

Um grande abraço e obrigado por partilhares connosco

O Profeta disse...

Sopro esta brisa que percorre as cumeeiras
E arrasto comigo este denso e frio nevoeiro
A noite envolve-me em seu escuro manto
Um milhafre soltou um grito derradeiro

O fogo surgiu do nada
A chama da paixão lambeu uma pedinte mão
Que levou o calor tatuado, abrasador a outra
Duas mãos postas, apontam ao divino uma oração

Na calada da noite despertam os sons
Mil olhos são estrelas na terra
O feitiço da Lua envolve os amantes
O amor tem como pano de fundo doce quimera



Voa comigo no feitiço do vento


Doce beijo