quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Canção da Mulher que Escreve


Não perguntem pelo meu poema:
Nada sei do coração do pássaro
Que a música inflama.

Não queiram entender minhas palavras:
Não me dissequem, não segurem entre vidros
Essas canções, essas asas, essa névoa.
Não queiram me prender como a um inseto
No alfinete da interpretação:
Se não podem amar o meu poema, deixem
Que seja somente um poema.

(Nem eu ouso ergue-lo entre meus dedos e perturbar a sua liberdade)


Lya Luft

4 comentários:

Retalhos de Amor disse...

Vim matar saudades, Linda Maria...
E n'um encanto só minh'alma
se fez em tuas emoções!!!

Tempo anda pequeno, por isto
um pouco ausente, Querida!!!

Beijo grande de pra ti...
No teu terno coração, Amiga!!!
Iza

Edimar Suely disse...

Há pessoas estrelas e há pessoas cometas.
Os cometas passam... Apenas são lembrados pelas datam que retornam e depois desaparecem. Há muita gente cometa. Passa pela vida apenas por instantes.
Gente que não prende ninguém e a ninguém se prende.
Importante é ser estrela!
...permanecer
...ser calor
...ser vida
Amigo é estrela. Os anos podem passar, mas as marcas ficam no coração. Ser cometa é não ser amigo. É ser companheiro por instantes.
A solidão é resultado de um vida cometa.
Ninguém fica.
Todos passam.
Há necessidade de se criar um mundo de estrelas.
Todos os dias poder senti-las.
Todos os dias ver a sua luz e perceber o seu calor.
Assim são os amigos da vida da gente pode-se contar com eles, são coragem nos momentos difíceis, são luz nos momentos de desânimo, ser estrelas nesse mundo passageiro, neste mundo de cometas e um desafio!
Mas acima de tudo e um recompensa "E nascer e ter vivido" e não apenas existido...

Smack!

Edimar Suely
jesusminharocha2.ziet

Guida Linhares disse...

Minha querida, amei teu espaço, cheio de poesias e imagens encantadoras...parabéns! Beijos carinhosos, guida

Manu disse...

Olá Maria!

Minhas letras eu conheço
sejam de alegria ou pranto
muitos poemas eu esqueço
mas não lhes nego encanto

Todos podem ver as cores de um poema, mas apenas quem o escreve conhece a sua tonalidade. Beijos