quarta-feira, 12 de agosto de 2009

SAUDADES


Olho à volta
e não te vejo!
nem a penumbra
nem o ensejo
nem uma asa no horizonte
A distância é
um compasso na curva do meu abraço
A distância é tão longe!
Tão longe que perde a esperança
no cansaço de cada dia, na cruz do alvorecer!
Vou embora de mim, vou ser monge
num retiro do Tibete vou reaprender a Ser
dona da minha vontade
Deitar fora esta Saudade
que me está suicidando
Olho à volta... não te vejo
nem a penumbra, nem o ensejo
Nem uma asa no horizonte
Minha boca é uma sede! minha alma é uma fonte!

Luiza Caetano

2 comentários:

Retalhos de Amor disse...

Saudade...
Fonte que sacia e mata de sede!!!

Quão belas tuas canções
Afagos do coração!!!

Beijos, Linda Maria...
Nesta tua sensível Alma!!!
Iza

Malu disse...

A distância é
um compasso na curva do meu abraço
Obrigada Iza.......Beijos prá voce!