quarta-feira, 14 de março de 2012

Enleio

Queria falar de mim nesse poema,
mas fico tão absorto,
que nem me respondo...
Prefiro falar de ti,
só assim, tenho agitados arroubos
de afetos brandos.

Tens flores no sorriso;
no olhar, afagos solares...
Teu sereno semblante
desata as horas mortas,
cintila na solidão,
no vazio, no vago,
se estrela.

[Aedo]

8 comentários:

Pizarro disse...

Preciosos versos.
Saludos y abrazos.

Santa Cruz disse...

Maria: Esse Enleio que seja eterno para sempre.
Beijos
Santa Cruz

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Graça Pereira disse...

Um poema cheio de encanto e sensibilidade.
Beijos
Graça

Milla Pereira disse...

Coce enleio, Maria, parabéns, querida! Retornando pra matar saudades de sua poesia, beijinhos

Angel disse...

Sem mais palavras....

um anjo

Arnoldo Pimentel disse...

Um lindo e sensível poema.Beijos

Princesa do Mar disse...

Encantei-me com este poema!!!

Autoria Aedo?

Estranho nome

Beijinho