sábado, 30 de janeiro de 2010

NÃO TE AUSENTES


Não te ausentes de mim
Para que os dias não se façam vazios
Para que as tardes não se esmoreçam
Deixando as prímulas da janela em pálida cor
Não te ausentes...
Pois o escuro da noite traz um
Silêncio que me assusta
Me pondo em sobressalto constante
Deixando meu corpo em febre
Deixa comigo sua presença
E com ela o azul celeste a colorir
As manhãs do meu viver
Sentindo o brilho do teu olhar
A me conduzir em rumo certo
Te quero próximo!
Caminhando no solo firme dos meus sonhos
Onde te busco em cada ponto do universo
Procurando teu rosto com carícias de seda
Não te ausentes!
Para que eu não viva a tatear tua imagem
Sentindo-me como constante sol a buscar-te
Te vendo como eterna sombra a fugir-me.


Simplesmente Teresa

4 comentários:

Maria Flor! disse...

Belissíma poesia!
Felicitações pela escolha, continuarei por aqui te lendo.

Beijos da Flor!

El Drac disse...

Amigo poema de Nice, também me sinto como você, que só a pessoa amada pode ser bom caminhar, seguro para os nossos objectivos. um beijo

Manu disse...

Olá Maria!

Não te amedronte eu estar ausente
mesmo longe tenho-te no pensamento
em mim, tu estarás sempre presente
e eu em ti estarei todo o momento

Beijos eternos

Simplesmente disse...

Obrigada por divulgar nossas poesias. Obrigada por sua amizade, por seu carinho e lealdade.
Amiga sempre querida! beijos!