domingo, 4 de outubro de 2009

VENDEDORA DE SONHOS


Carrego os sonhos comigo.
Quero vendê-los de porta em porta.
Toda uma mercadoria com marca registrada.

Meus sonhos têm olhar transparente!
Uma raridade onde não há dores
cortinas ou muralhas...
não há armas desamores e feridas.

Eles abraçam num elo
o mundo a liberdade e a vida.

Bendizem esperança.
Caminham avançam e se desenham
coloridos na vidraça.

Emergem e destrancam todas as portas e janelas.

Sonhos sem nome...sem endereço
enfileirados sob o travesseiro.

Não cabem mais em mim.
Preciso dividí-los.

Porque são sonhos grandes demais
e bonitos demais para se sonhar só.


Rosy Moreira

4 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Sonhos que não se sonha só, são aqueles que se realizam!
beijo

Manu disse...

Olá Maria!

O sonho comanda a vida
dá-lhe outra cor e alegria
o sonho, vontade reprimida
sonhemos de noite e de dia

Hoje comemoram-se aqui 99 anos de um sonho tornado realidade; a implantação da república. Beijos

Glória Müller disse...

Maria, sonhos que são para serem sonhados, de par em par, nas asas do vôo sincronizado de duas aves.
Com todo meu carinho
Glória

AMARIS disse...

Assim como os sonhos precisam ser divididos, teu blog também...

Bom estar aqui.

Abraço, Maria
Damáris