segunda-feira, 17 de agosto de 2009

São de Areia


Na balada de meu coração surfa um sorriso
ainda molhado pelas águas de março daquele verão...
Arrepia meu corpo ainda salgado o gosto do riso
esparramado nas areias mornas de então...
Não são só lembranças, são tatuagens,
marcas que ficaram coladas n’alma como grãos d’areia...
São elos que não se rompem, são fontes
que jorram de mim para o mar querendo te amar...
Podes constar como saudade, infinitas que são,
me apertam os olhos e me põem a pensar...
Chorar nunca, pois são resto de risos que ainda ecoam
na concha vazia de meu coração!

Santaroza

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Linda escolha Maria...já li e reli...guardei pra mim!

Um beijo no coração!!

Reggina Moon

Maria L. Bózoli disse...

Chorar nunca, pois são resto de risos que ainda ecoam
na concha vazia de meu coração!

Super lindo amigaaaaa........Beijos!